epifania,  evolução,  poema/poesia,  terra

inércia

Às vezes tudo parece parado
Como um mar em calmaria.
Mas basta que alguém deseje,
Basta que alguém se movimente,
E rudo se transforma, afinal
Para sair da inércia
É só dar o primeiro empurrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *